Crise de ciúmes… o que fazer!?

Maternidade Real

Esse era um assunto já solicitado aqui no blog, porém eu nunca o havia presenciado e não tinha nem exemplos para dar. Confesso que a medida que minhas amigas foram tendo seus segundos filhos a queixa de ciúmes entre os pequenos estava se tornando frequente. A minha preocupação com o assunto está aumentando principalmente pelo fato do meu segundo filho provavelmente não vir de uma gestação, pois desta forma o Raul não terá a minha barriga crescendo para que ele a acompanhe e saiba a hora que o bebê irá chegar. De qualquer maneira, essa preparação terá que acontecer de alguma forma mas esse assunto eu abordarei num post futuro.

Bem, Raul pode ainda não ter irmãos mas há alguns dias esse tal de ciúmes apareceu por aqui. Minha irmã passou uns dias aqui conosco com o seu pequeno Samuel e vocês não imaginam o que Raul aprontou. Ele simplesmente fazia de tudo para chamar a minha atenção e de todos que ousassem dar mais atenção pro Samuca do que para ele. Meu coração partiu, principalmente por nunca ter vivenciado algo do tipo. Eu já havia lido, em alguns desses tantos livros que li sobre maternidade, algumas dicas de como controlar e reverter essas crises de ciúmes e que são muito comuns em crianças, porém fui pega de surpresa e não me lembrava delas… Quando o Raul fazia algo para chamar a atenção eu o pegava e tirava de perto do primo e explicava que ele não precisava de fazer isso etc. Manter a calma é extremamente difícil, principalmente quando você vê que a outra mãe está acompanhando tudo de perto. O interessante é que por mais que ele ficasse extremamente enciumado, ele acordava e dormia solicitando a presença do primo.  Foram cinco dias assim… nessa tensão! Claro que ele dava trégua, mas eu passei apertada sem saber o que fazer.

Após a volta da minha irmã com o seu pequeno para casa, reli alguns artigos sobre o assunto e vou passar as dicas que encontrei, caso vocês precisem utilizá-las um dia. Mas antes vai aí uma explicação, aliás um lembrete, pois é preciso saber que as crianças são imaturas tanto psicologicamente quanto neurologicamente e isso vai mudando com os anos. Alem disso, controlar os seus impulsos é uma missão quase que impossível para elas. Elas são egocêntricas e, na maioria dos casos, reagem agressivamente quando não sabem como lidar com seus sentimentos. As dicas que encontrei são mais baseadas para ciúmes entre irmãos mas com bom senso podemos fazer uma adaptação para a situação que estamos enfrentando..

  • Ter um intervalo de três anos entre os filhos é o que os psicólogos orientam, pois assim seu filho mais velho já terá “saído” do seu colo e já tem uma certa independência. Claro que essa dica muitas das vezes não é escolha nossa, então a quarta dica irá ajudar e muito.
  • Não demonstrar preferência por um filho. Claro que na vida sempre há uma pessoa que nos identifiquemos mais que outra, mas no caso dos filhos isso não pode ser evidente. O tratamento deve ser igual para todos.
  • Os pais devem ter tempo separados com cada um dos filhos.
  • Mantenha seu filho informado. Tente sempre informá-lo da situação que ele irá vivenciar, seja a chegada de um novo irmão, de um novo primo, que vai passar umas horas no parque com os amiguinhos, que na escola nova terá um monte de crianças diferentes que ele ainda não conhece etc. Mesmo que ele seja bem pequeno, ele irá entender. Faça-o se interessar pela situação nova, coloque-o para participar da escolha do enxoval do novo bebê, leve-o a exames de ultrassonografias para ver o bebê, estimule-o a conversar com a barriga, estimule-o a imaginar o que poderá fazer com o primo ou o amigo que passará uns dias ou horas com ele, o que eles poderão fazer juntos, as brincadeiras que poderão fazer, os programas de TV que poderão assistir…
  • No caso de nós pais, devemos sempre tomar o cuidado de NUNCA, eu disse NUNCA, transmitir a NOSSA responsabilidade para o filho mais velho. Filho não cria filho! Nosso filho não será responsável pelo mais novo, NUNCA! Isso também está incluso para os primos, amigos etc.
  • Como crianças são egocêntricas e não sabem ainda dividir, não a obrigue a dividir brinquedos caso ele não se sinta confortável. Você pode amenizar a situação perguntando e pedindo que ele escolha um outro que ele queira emprestar. E ressalte sempre que devemos ser solícitos com as outras pessoas.
  • Sempre converse com seu filho a respeito dos seus sentimentos, dizendo que o entende e o explique como pode contornar uma situação que ele não esteja confortável. Da mesma forma, elogie sempre que perceber que ele soube como lidar com a situação ou se ele teve um comportamento legal em uma determinada situação.
  • Comparar, NUNCA! Não devemos comparar ninguém com ninguém, muito menos crianças! Comparar estimula competições e causa frustrações. Não gostamos de ser comparados com ninguém, não é mesmo?!
  • Seja cortês e íntegro com seus filhos. Nada de falar de um pro outro e nem do marido ou da esposa pros filhos, heim! A confiança é tudo na vida e seus filhos os têm como as pessoas mais especiais e maravilhosas do mundo. Sejam o exemplo para eles! Façam que essa confiança esteja sempre presente!

 Com amor,

Ana Maria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s