Relato de uma tia fissurada!

Maternidade Real

Olá, pessoal! Hoje vou falar um pouquinho sobre minha experiência como tia! Hihi
Me lembro do dia em que fiquei sabendo das condições com as quais o Raulzinho nasceria. Minha mãe me acordou meio chocada, me contando. Claro que não é um motivo pra ficar feliz, mas na hora tentei acalmá-la, dizendo que essa condição já não é algo tão complicado como antigamente, que os tratamentos estavam avançados e que tudo iria dar certo! Os pais dos bebês fissurados devem se lembrar que é um impacto pra toda família, que todos acompanham cada momento, cada gripe, cada cirurgia dos bebês! Não somos especialistas e nem sabemos exatamente o que se pode ou não fazer com a criança. O dever dos pais é orientar os familiares, dizer exatamente o que está liberado ou não, como proceder em cada momento e etc, e ainda assim, com os pais nos falando, às vezes  esquecemos de algumas coisas ..(risos)  Mas não se desespere, não é nada que não de pra se ajeitar.  Nós, familiares, também devemos nos orientar, pesquisar, aprender, e estarmos preparados para o bebê que chegará!
A Ana, com muito carinho, nos mandou emails dizendo os processos pelos quais o Raulzinho passaria, e a todo momento nos orientava, nos deixando um pouco menos ansiosos com isso tudo.
O que quero dizer aqui, é que mesmo com todas as condições que o bebê irá passar, os pais devem dar um jeitinho para que eles não se isolem, se privando dos momentos com a família. E que os parentes também devem fazer sua parte, entender que o bebê fissurado tem horários e momentos específicos. Lá em casa fazíamos os aniversários e comemorações um pouco mais cedo, para que o Raul não pegasse friagem e pudesse ir e participar desses momentos.  E mesmo que às vezes ficasse por pouquinho tempo, a Ana e o meu irmão faziam questão de levá-lo.
É claro que é difícil, mas com jeitinho podemos fazer com que seja um pouco menos doloroso para toda a família. Com bom senso de ambas as partes, poderemos desenvolver as potencialidades e favorecer o desenvolvimento da criança, possibilitando-as estar com seus familiares que tanto os ama!!!
Deborah Patricio
Profissional de Educação Física

2 comentários sobre “Relato de uma tia fissurada!

  1. Excelente. A vida nos traz grandes desafios e estão aí para serem superados, este é objetivo. Toda experiência vivenciada produz aprendizado. Depende de nós escolher oque colher de cada evento. A maternidade é o que temos de mais sublime em termos de sentimento, o que mais se aproxima do amor divino. O que é interessante na história do Raul é que ele veio mostrar que as maiores limitações são as nossas. Limitações de lidar com o novo, com o desafio, do amor incondicional, de doação e de tantas outras coisas.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s