Primeiro dia de aula da Rita

Bom dia!

Passamos por duas vezes a primeira vez da Rita em uma escolinha, o primeiro episódio foi no início do ano lá em Belo Horizonte. A Rita já estava entrando no limite da idade para iniciar a fala, emitia poucas sílabas e a linguagem gestual dela era maior do que a falada, isso começou a preocupar a #mamãefonoaudióloga aqui… risos… Quando estou diante de um caso em que a criança sem comunica mais por gestos do que pela fala, o que indico para os pais é que coloque a criança em uma escola. Não é porque sou mãe/fono que ia ser diferente do que eu falo com as mães dos meus pacientes, risos… Então no fim do ano passado resolvi tentar uma vaga para ela em uma UMEI. Desde quando eu inscrevi a Rita no site da prefeitura para concorrer a vaga eu mentalizava indo levá-la para a escolinha, dando tchau para ela na porta da sala, eu e o Raul indo buscá-la juntos… E voilá! A força do pensamento é muito mais forte do que podemos imaginar! Vai por mim!

No início do ano quando recebi a ligação que ela havia conseguido a vaga, como  quase todas as mães, eu descobri  que não estava preparada para deixá-la na escolinha apesar de querer e precisar muito. Minha mente logo me sabotava e os pensamentos começavam: “Mas é tão pequenininha!”, “Não preciso de colocá-la agora, posso esperar mais…” Porém eu sabia que era para o bem dela e logo tratava de argumentar com esses pensamentos que insistiam em estremecer minha decisão. Durante cinco dias eu busquei a Maria Rita após duas horas que eu a havia deixado, e a encontrava chorando. Pensar em desistir passou pela minha cabeça incansáveis vezes. Eu conversava muito com ela sobre a importância dela ir para a escolinha. Durante o nosso trajeto de ida para a escola eu ia narrando o que aconteceria: “Rita, a mamãe vai te deixar na escolinha, vou te dar tchau, você vai tomar café com os coleguinhas, vai brincar, vai fazer atividade, vai almoçar e depois disso a mamãe volta para te buscar.” Isso eu falava todo santo dia, no meio do discurso íamos fazendo os gestos de dar tchau e comer. Passados alguns dias ela mesmo ia fazendo os gestos e esboçando entender a rotina do que aconteceria na escola. Isso fez uma diferença enorme para a aceitação dela que por fim já estava bem mais segura. Durante meses ela ia feliz da vida para a escolinha, sem me dar mais trabalho e aí vem a mudança de cidade. Com isso a de mudança escolinha após longos 2 meses e meio de férias até as coisas se ajeitarem da mudança. O meu receio era ela estranhar novamente, além das férias forçadas e da mudança de escola, a metodologia é totalmente diferente aqui na nova cidade (esse é um tema para um próximo texto). Dessa vez foi mais suave, a aceitação foi imediata. Acredito que pela segurança do irmão estar no mesmo lugar que ela, essa foi a exigência primordial na nossa lista de escolas aqui em Pouso Alegre, que os dois pudessem estar juntos na mesma escola.

Contudo, o que eu mais uma vez comprovei foi que nós nunca estamos preparados para nada, somos preparados na hora para o que vai acontecer. Pensei que estaria calejada ao entregar a Rita pela primeira vez da escolinha, afinal eu já havia passado pela primeira vez do Raul, porém não foi o que aconteceu. Sofri com a mesma intensidade quando foi a vez da Maria Rita. E pensem que acabou!? Não! Aconteceu novamente quando entreguei os dois aqui na escolinha em Pouso Alegre. A gente sofre né! risos… Aliás escolhemos sofrer… risos… Logo, um conselho para as mamães, tudo passa! Fiquem firmes no período de adaptação, eles são mais fortes do que imaginamos. Nós é que não somos… risos.

Com amor,

Ana Maria.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.