Dicas de Alimentação pré e pós operatório

Maternidade Real

Alimentar um bebê fissurado parece assustador, mil coisas passam em nossas cabeças… Será que vou dar conta?! Será que ele vai engasgar?! Ai ai… Mas força, e é mais simples do que se pode imaginar. Tenha calma!!! O bebê é muuuito esperto!!! Ele logo logo vai criar um jeitinho para engolir sem engasgar. Coisa de uma semaninha, e eles nos impressionam mesmo!!!

As dicas que darei são para facilitar a alimentação e prevenir os “problemas” que podem ser causados se alimentarmos os nossos bebês de forma inadequada.

São elas:

  • Caso o seu bebê não pegue o peito, exija que tirem seu leite para ofertar ao seu bebê. É seu direito e do seu bebê também!!! (Farei outro post somente sobre amamentação e retirada/armazenamento de leite.)
  • Posicionamento: as mamadas devem ser sempre realizadas com o bebê o mais ereto possível (sentado mesmo). Encontre um jeito confortável para que você consiga colocá-lo o mais sentadinho possível tomando cuidado para a cabecinha dele não ficar inclinada para trás. Isso evitará refluxos e otites.

dsc00640_wm

  • Após as mamadas o bebê deve permanecer também ereto (posição que colocamos o bebê para arrotar), em média por 20 minutos, para evitar também o refluxo gastroesofágico e o leite não ir para os ouvidos, causando a otite.

dsc00642_wm

  • O tempo das mamadas dos bebês fissurados são em média menores em relação ao tempo de um bebê sem fissura. Isso ocorre devido a eles engolirem mais ar (devido a abertura da boca), causando a sensação de saciedade mais rápido. Porém, logo logo, estarão com fome de novo…(risos). O Raul mamava de 2 em 2 horas nos primeiros meses de vida.
  • No início você pode ajudar o bebê a fechar os lábios com os seus dedos quando ele estiver mamando, diminuindo assim a abertura da boca fazendo com que ele engula menos ar.

dsc00641_wm

 Você deverá utilizar o dedo do meio e o anelar para ajudar a fechar os lábios e com o dedo mindinho ajudar a fechar o queixo. E com os outros dois segurar a mamadeira… (risos)… Quase um malabarismo, mas com a prática vai ficar super fácil!!!

  • Iniciar a papinha antes dos seis meses de vida (converse com seu pediatra a respeito): iniciar as papinhas pastosas antes mesmo dos seis meses, ajudará no ganho de peso do bebê para a primeira cirurgia e ajudará também no pós operatório, onde o bebê não poderá sugar nada até que os pontos tenham caído e/ou o médico tenha liberado a sucção (esse processo de cicatrização dura em média 10 dias). Ps.: Essa recomendação é para bebês que não mamam no peito. Para aqueles que mamam no peito a amamentação é liberada após a cirurgia.
  • Mamadeiras: as mamadeiras que têm o bico de látex são as mais aceitas por bebês fissurados, pois exigem menos força para serem sugadas. Os modelos de bicos de mamadeiras que utilizei com o Raul  foram:

– Lillo Chuquinha

180912_122203_6534_1

chuquinha-fiona-rosa-2_1 Lillo Chuquinha

– Lillo Látex universal

download

Lillo Látex Universal

– Nuk Latéx First Choice

1

Nuk Látex First Choice Ps.: Esse é o que eu utilizo até hoje com o Raul.

Ps.: Existem no mercado bicos especiais para fissura labial e fissura palatina, porém não uma específica para a fissura labiopalatina. Por este motivo, não comprei nenhum dos dois, por achar a anatomia deles uma grande demais e a outra muito comprida. Acho que não funcionaria com o Raulzito.

580-nuk_bico_leporino

Bico para fissura labial

580-nuk_bico_fenda_palato

Bico para fissura palatina

  • Copos: os copos que podem ser utilizados no pós operatório são os tradicionais, ou se for os infantis, os que não têm válvula antivazamento (aquela pecinha que não deixa a água cair quando você vira o copo). Após as cirurgias, assim como na mamadeira e na chupeta, o bebê não poderá sugar nada. Para o Raul eu comprei o que tinha válvula e a retirei.
  • Temperatura dos alimentos e do leite no pós operatório: a temperatura deverá ser de morno para frio, mais para frio mesmo. Nada quente, para que a cicatrização ocorra mais rápido.
  • Introdução de alimentos sólidos: a princípio eu era resistente a introdução da alimentação sólida antes da palatoplastia. Eu imaginava como seria o Raul ficar um mês sem comer nada sólido, 😯 mas com o tempo eu acabei cedendo e hoje eu reconheço que as crianças se adaptam facilmente a questões alimentares, e o que importa é estarmos (mamães e papais) tranquilos para tomarmos as melhores atitudes em relação a recuperação dos nossos pequenos. A alimentação sólida deve ser introduzida no momento certo independente da data da cirurgia, pois é essencial para estimular a musculatura tanto da face quanto de dentro da boca. Dessa forma, o ideal é não coar os alimentos e ir gradualmente amassando até conseguir dá-lo inteiro.

Espero ter ajudado com estas dicas.

Com amor,

Ana Maria.

3 comentários sobre “Dicas de Alimentação pré e pós operatório

  1. Olá Ana Maria meu bebê também se chama Raul e também nasceu com fissura palatina, mas os pediatras do hospital que escolhi para o parto não sabem muito a respeito tipo tratamento ainda bebê, bom a questão é que achei seu blog e me ajudou muito, e gostaria de saber onde você fez a cirurgia do seu Raul?

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s