Sônia Echeverria, mamãe da Anita.

Maternidade Real

Era pra ser só mais uma vez que faria todos aqueles exames para tentar contornar o meu problema de ovário policístico. Sentei na cama do meu quarto, fiz os downloads… E eu, com minha mania de ler bulas de remédios, claro que queria ver todos os resultados… Para ver se estava com alguma coisa acima ou abaixo do normal: e estava! Quando vi todos aqueles números e zeros, congelei! Arrepiei!

Em seguida Getulio chegou na minha casa… Não éramos casados e nem tinhamos planos de assinar aquele papel tão cedo… Não era meu sonho… E assim que expliquei, ele com um sorriso inexplicável disse: Vai ser ótimo Coração! Vamos ter a nossa família!

Na minha cabeça ele só poderia ser louco.. Que família? O que eu faria com um bebê? Crianças me davam medo!

Os dias que seguiram foram apavorantes, revezava entre lágrimas e livros. Estava na época de provas do nono semestre de Engenharia Elétrica e só conseguia pensar no tanto que Deus tinha sido injusto com esse plano esquisito.

Chegou o dia do primeiro ultrassom… Até então, eu rezava muito pedindo para que não houvesse feto algum dentro de mim… Mas no momento que eu escutei aquele coraçãozinho e vi aquele bebezinho todo formadinho, pensei: Sou mãe e quero muito ser a melhor possível!

Desse dia em diante, formei, casei e curti cada momento.

Há 2 anos eu vivo em um curso intensivo de como amar… Um amor incomparável, incalculável, imensurável e simplesmente delicioso. Quando ainda estava grávida, pensava nas coisas que queria dar e ensinar para ela, em como educá-a. Mas nesse tempo, confesso, que ela me ensinou muito mais do que eu um dia pensei que aprenderia. Me ensinou a amar sem cobranças, a cuidar sem esperar algo em troca, a dar prioridade para as coisas importantes, a suportar dores e situaçãoes insuportáveis, a perceber o quanto a vida pode ser muito melhor quando há um verdadeiro sentido, a valorizar as coisas… Não o preço delas. Ela me ensinou que a doçura e a delicadeza não são sinônimos de fraqueza, me fez ver a beleza da tranquilidade. Me ensinou o que é a felicidade.

A felicidade está perdida em cada sorriso, em cada palavra, em cada chorinho, em cada gesto… A felicidade está aqui, perto de mim e vem me acordar cedinho no domingo.

Hoje entendo os planos de Deus, Anita veio no momento exato, pois meu pai não poderia esperar muito tempo, e ele precisava conhecer a neta que levará o nome da mãe dele para sempre. Ela veio, pois precisaríamos de força para passar por momentos difíceis, para que eu pudesse ter um anjo no céu e outro na terra, e para que eles se encontrassem ainda em vida.

Não existe gravidez planejada, existe gravidez coincidida… As vezes nossos planos coincidem com o de Deus, as vezes não… Mas isso não importa, o que importa é ter esse milagre em nossas vidas.

Se existe amor maior? Estou certa que não. “Ser mãe” é a mais bela descrição de “objetivo de vida”… Minha meta? Me deliciar cada dia mais de segundos preciosos de doçura… Tudo mudou! Não há como não mudar… Eu dei a luz ao sentido da minha vida!! Me presenteei com beijos melados e abraços despretenciosos…

Eu mergulho e me perco nos seus detalhes… Me afundei nas suas dobrinhas e me realizo a cada sorriso. Amor, simplesmente… Amor!

Sônia Echeverria

IMG_20150424_182603-2

4 comentários sobre “Sônia Echeverria, mamãe da Anita.

  1. Soninha! Amei cada palavra!!!
    Simples, realista, verdadeiro… Ownnn tão lindasssss…
    parabéns amiga pelo seu anjinho, pela sua cabeça é maneira de pensar, agir e viver 😍😍😍😍😍
    Bjooo

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s