Disciplina Consciente

Maternidade Real

Saber ensinar e educar é uma tarefa não muito simples, ainda mais quando estamos tentando transmitir valores aos nossos pequenos. Ensinar o que é certo e errado, ensinar a ter bom senso ou a obedecer regras é uma tarefa bem mais complexa do que imaginei. Li essa frase no livro verde da trilogia da Encantadora de Bebês, que me fez repensar muito: “A maioria das crianças escuta o que você diz; algumas fazem o que você diz para fazer; mas todas fazem o que você faz. (Katheleen Casey Theisen)”. E é em cima dessa frase que venho tentando construir o meu modelo de disciplina consciente para passar pro Raul.

Esse livro que citei aqui hoje foi, sem dúvidas, para mim o mais interessante dos três. Ele aborda coisas reais e situações que vivenciamos MUITO entre as idades de 1 a 3 anos. Me identifiquei com um monte de relatos e relembrei várias situações que passamos com o Raul e que agimos erroneamente achando estar acertando.

Raul está na fase que já faz chantagem emocional conosco e sabe manipular a situação para sempre tentar conseguir o que quer. Seja fazendo pirraça, chorando ou falando que ama e fazendo carinho. Claro que nessa última a gente sempre acha a coisa mais linda do universo mas sabemos que a real intensão dele é conseguir seu objetivo. Coisas de criança mesmo! Mas como lidar com isso?! Eu estava tendo bastante dificuldade em lidar com essas situações, além de me desgastar bastante durante o dia pedindo para ele umas 656484 vezes para parar de pular no sofá ou para parar de subir na mesa antes de perder a paciência e ir até ele para tirá-lo a “força”, sem contar as vezes que levanto a voz para ele. E isso é chato porque eu canso, ele chora e nós estressamos. E quando isso acontecia na presença de outras pessoas, principalmente avós ou pessoas mais velhas, eles contornavam a cena e ainda falavam: “Deixa ele! Ele é só uma criança!” ou “Aqui em casa pode!”. Essa situação estava se tornando muito desagradável!

Claro que Raul não é um menino muito birrento mas essas situações acontecem… Então, lendo o livro descobri uma Disciplina Consciente que vem me ajudando muito. Ela nos norteia para tornar a vida mais previsível para os nossos filhos, a definir limites que os façam sentir segurança, faz com que eles aprendam a fazer boas escolhas e a serem mais responsáveis. A Encantadora descreve doze ingredientes que listarei para vocês que visam ensinar o seu filho a ter autocontrole. Eles são:

  1. Conheça os seus próprios  limites – e defina as regras.
  2. Olhe para o seu próprio comportamento, para ver o que está ensinando ao seu filho.
  3. Escute a si mesma para garantir que você está no comando – e não seu filho.
  4. Planeje com antecedência e evite ambientes ou circunstâncias difíceis.
  5. Veja a situação através dos olhos do seu filho.
  6. Escolha suas batalhas.
  7. Ofereça opções de final fechado.
  8. Não tenha medo de dizer NÃO.
  9. Corte o comportamento indesejável pela raiz.
  10. Elogie o bom comportamento e corrija ou ignore o ruim.
  11. Não recorra a punições corporais.
  12. Lembre-se de que ceder não equivale a amar.

Esse capítulo do livro que trata a respeito desses ingredientes é o mais interessante, pois além de desmistificá-los vai dando dicas de como aplicá-los principalmente em momentos difíceis como descrevi aqui no texto. Fora isso tem mais uma regra facilitadora, a Um/Dois/Três, para viabilizar essa Disciplina Consciente. Tudo para te ajudar a manter seu autocontrole. Não é o máximo!

Recomendo a leitura do livro.

Com amor,

Ana Maria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s