Gestação diabética – O Antes, durante e depois do parto!

Maternidade Real

Bom pessoal, meu denguinho chegou e já completou 1 mês!!! Veio com 37 semanas e por cesariana, como programado! A semana que antecedeu o parto foi tensa. Tive muita dor no quadril. Estava dormindo aproximadamente 3 horas por noite. Uma dor que não melhorava de jeeeeito nenhum. Deitada de qualquer lado doía. De barriga pra cima nem pensar porque faz mal pro bebê, de bruços sem chances. E adivinhem o jeito que me aliviava? Era ficando de pé. Então eu e meu marido levantávamos nas madrugadas pra caminhar pela casa…rs Às vezes eu tomava um banho, fazia alguns exercícios leves e conseguia alívio para mais 1:30h de sono.

O Lorenzo já estava bem grandinho, com 3,200 kg, e cada mexida dele era uma dor gigantesca. A diabetes estava controlada, hemoglobina glicada a 6,2. Ele nasceu num sábado, e um dia antes fiz um exame de ecocardiograma fetal para ver como andava seu coraçãozinho, e graças a Deus tudo certo! Sábado chegou! Fomos para maternidade. Já dentro da sala de cirurgia fui medicada com a peridural e não com a raqui, como eu achava que seria. Não olhei pra agulha, como recomendado…rs Mas juro, não dói. É uma sensação estranha, mais um incômodo que dor. Anestesia dada fomos para a luta para tirá-lo.  Já chegou ao mundo chorando, pesando 3,450kg! Muito cabeludo (e detalhe que eu não tive asia nem uma vez). Assim que ele saiu, foi colocado pertinho de mim e eu digo a vocês, não há cheirinho melhor!!! Ele tomou um “banho de gato” e foi levado para sala onde eu esperava passar a anestesia. Chegando lá já veio a diabetes não me deixando esquecê-la. Lorenzo estava com a glicose baixa (por estar em um meio em que a glicose era em média 130, o pâncreas dele produzia insulina para abaixar sua glicose. Ao sair do útero, já não recebia toda a fonte de glicose que eu mandava, mas seu pâncreas ainda produzia insulina como se estivesse recebendo, por isso sua glicose abaixou). A enfermeira chegou com ele e disse que eu deveria amamentá-lo para aumentar sua glicose,  caso contrário ele ficaria no berçário recebendo leite industrializado até a glicose aumentar. Foram minutos de luta, (porque eu garanto que amamentar pode não ser tão fácil quanto parece, assunto para um próximo post), mas acabou que consegui dar o que ele precisava, sua glicose aumentou e ele foi comigo para o quarto! Durante as 24 horas seguintes o Lorenzo foi observado de perto e sua glicose medida a cada duas horas para evitar qualquer hipoglicemia. Dois dias se passaram e eu tive alta, mas o Lorenzo não. Estava com icterícia.  A bilirrubina estava 16 e o valor de referência é abaixo de 12. “A icterícia refere-se à cor amarela da pele e do branco dos olhos que é causada pelo excesso de bilirrubina no sangue. A bilirrubina é um pigmento normal, amarelo, gerado pelo metabolismo das células vermelhas do sangue. A criança fica ictérica quando a formação de bilirrubina é maior do que a capacidade do seu fígado de metabolizá-la.” (abcdasaude.com.br). Foi indicado para ele a fototerapia por dois dias, que consiste ficar em um aparelho com uma luz especial, essa iluminação desencadeia uma alteração na estrutura da bilirrubina, ajudando a diluir o pigmento que assim é mais facilmente eliminado pelo intestino, o sol pode fazer o mesmo papel, mas a luz artificial pode ser manipulada, resultando em uma melhora mais rápida. Realizada a fototerapia, saímos felizes da vida e 4 dias depois o levamos em sua primeira consulta com a pediatra. E a primeira coisa que ela disse quando tirou a roupinhas dele foi que ele ainda estava bem amarelinho. Ela nos deu um pedido de exame de sangue para fazer com urgência. Já eram 17h, então fomos ao Hermes Pardini 24 horas. Fizemos o exame e fomos pra casa. Às 21h do mesmo dia recebi uma ligação do próprio médico do Laboratório falando pra eu ir para um hospital infantil o mais rápido possível por que o exame do Lorenzo estava muito alto. Desta vez a bilirrubina chegou a 21. Vocês imaginam o desespero meu e do Léo. Liguei para minha obstetra (por que não tinha o telefone da pediatra) e ela me falou para ir  para o Vila da Serra, pois foi o hospital em que ele nasceu e lá eles já tinham o seu prontuário. E assim fizemos. Do jeito que estávamos, saímos!

Bom, ficamos mais 3 dias no hospital para realizar a fototerapia novamente. Foram 3 dias muito difíceis. Não sei das outras maternidades, mas o Lorenzo pôde ficar comigo e com o Léo  em um apartamento e não no berçário.  Finalmente saímos de lá com a bilirrubina a 12! Ufa!!! Agora sim! Nosso baby está cada dia melhor, engordando, crescendo e se desenvolvendo! Amamentar foi minha opção e graças a Deus tenho leite suficiente para nutri-lo. Foi uma gestação bacana, com suas peculiaridades e contratempos, mas que no fim ocorreu tudo bem. Me doei integralmente, mudei minha alimentação e meus hábitos, a diabetes exige isso. Essas mudanças com certeza influenciaram no sucesso que foi essa gestação. A gestação diabética não é fácil, mas está longe de ser impossível. E maternidade é isso, cada dia um novo obstaculo, um aprendizado diferente. Eu e o Léo estamos aprendendo a todo momento, todo dia tem um sufoco diferente, mas faz parte! Determinação e vontade são indispensáveis para obtenção de bons resultados. E assim vamos caminhando. E essa é a dica que eu dou a todas as mamães, diabéticas ou não, não desanimem! Independente do tamanho do problema, ele vai passar, e logo será apenas uma lembrança de uma dificuldade vencida. E outros problemas virão, mas com tranquilidade e equilíbrio tudo vai se encaixando.

Obrigada a todos que torceram por nós. Felicidades a todas que tiveram ou ainda terão o prazer de gerar uma vida! Deus no comando, sempre!

Deborah Patricio Romero

5 comentários sobre “Gestação diabética – O Antes, durante e depois do parto!

  1. Que Lindo Deborah! Fia deve estar morrendo de orgulho de vocês lá em cima!!! E apaixonada pelo Lorenzo!!! Muita saúde, muitas alegrias e toda a prosperidade desse mundo. um bjo grande em cada um.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Muito importante seu depoimento Débora. Achei bem escrito, parabéns!
    A você, Leo e Lorenzo todo o nosso carinho, feliz dele que nasceu de uma mãe determinada, persistente e dedicada. Com certeza cuidará dele com muita responsabilidade, carinho e muito amor. Sejam muito felizes.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s