Dentes X Fissura Labiopalatina

Bom dia!

Desde que Raul nasceu eu fazia uma higiene oral nele bem minuciosa por causa da fissura. Após as mamadas eu enrolava uma gaze no dedo indicador e a embebia com água filtrada e limpava a língua e as narinas dele, fazia isso sempre para evitar a proliferação de bactérias. É legal deixar claro que esse costume que eu tinha deve ser feito em todos os bebês, não somente em bebês com fissuras. Os dentinhos foram nascendo e passei a escovar com escova e pasta dental. Há  um tempo atrás eu escrevi um post sobre Higiene Oral das crianças  explicando  o que usava e a importância de se fazer. Com já quase três anos completos, meu marido e eu achamos importante que a visita ao dentista acontecesse para nos dar um norte sobre o assunto e foi então que o levamos a sua primeira consulta.

Raul tem todos os dentes exceto um no lado que a fissura acometeu a gengiva e possui algumas manchinhas nos dentes próximos à fissura. Levamos ele ao consultório da minha amiga ortodontista Paloma Marques (que também já escreveu para gente aqui no blog sobre Cuidados orais na infância) e com experiência no assunto fissura labiopalatina. No primeiro momento Raul ficou meio ressabiado e assustado com todo o equipamento que havia na sala mas logo começou a brincar com a cadeira que subia e descia, com o jatinho de vento e com a água girando na pia ao lado e então ficou mais a vontade… risos. Deixou a tia Poma olhar a boquinha e fazer os procedimentos necessários para uma primeira visita ao dentista.

As minhas dúvidas quanto a dentição eram tantas que quase deixei a tia Poma louca…. risos. Ela me explicou que o acompanhamento é diferente em cada caso de pessoas que nasceram com fissura, que vai depender do tipo de alteração na arcada dentária se a pessoa tem mordida cruzada anterior e/ou posterior. O Raul tem mordida cruzada anterior e como no caso dele a alteração não é  muito grave, logo a conduta dela foi reavaliá-lo daqui a seis meses para reaplicação de flúor e acompanhamento do crescimemto da arcada dentária. Então, vamos continuar assim de seis em seis meses, até ele completar 4-5 anos onde começaremos a fazer o acompanhamento da dentição definitiva. Uma das minhas dúvidas era se o dentinho que falta realmente não iria nascer. A explicação que tive foi que não necessariamente todos os dentes que existem na boquinha dele nascerão novamente, da mesma forma não significa que o dente “faltoso” realmente não aparecerá na dentição permanente. Somente um raio x panorâmico para nos dizer isso, mas ele ainda é muito novinho para preocuparmos com isso. As manchinhas que os dentes ao redor da fissura têm não são nada demais, são somente má formações e que não atrapalham em nada, na verdade só são perceptíveis para uma mãe “fononeurótica” como eu… risos. Como a maioria das pessoas que nasceram com fissura labiopalatina, Raul precisará de usar aparelho ortodôntico e somente após a troca da dentição começará a usar, ou seja, temos mais uns bons anos pela frente sem precisar de por aparelho. Ahhh… sobre abrir a fissura que algumas pessoas falam que acontecem quando colocam aparelho, dúvida que eu também tinha, na verdade não abre, ela já está aberta e só fica mais evidenciada com a expansão do palato e alinhamento da arcada dentária. Como já havíamos conversado aqui no blog, a fissura de palato duro (região próxima a gengiva) não é fechada. Essa cirurgia  é feita junto com o enxerto ósseo para corrigir o espaço da fissura, preenchendo-o, mas somente depois da troca da dentição. Esse espaço ainda aberto não atrapalha em nada, nem na fonação. O do Raul por exemplo nem da pra ver direito. Claro e óbvio que cada caso é um caso e deverá ser estudado e avaliado. Estou descrevendo aqui o tratamento do Raulzito que tinha fissura labiopalatina completa unilateral à esquerda.

Mais uma vez, obrigada por tudo Poma!

Com amor e muita gratidão,

Ana Maria.

Relato da mamãe da Bianca

Meu nome é Clésia Lacerda, sou casada com o Jhonathan Fernando a sete anos, quando estávamos com seis anos de casados decidimos que era o tempo de nos começar a programar para termos um filho, tentamos acertar as coisas, oramos e amadurecemos a ideia! Nosso bebê foi programado, sonhado e muito desejado.

Engravidei depressa, ficamos surpresos e também muito felizes! Nossa família! Nosso sonho!

Com onze semanas de gestação vivemos uma ameaça de aborto, e foi um aperto enorme, pensar na possibilidade de perder nosso bebezinho nos amedrontou muito, mas confiamos em Deus e seguimos as orientações médicas, deu tudo certo!

Estávamos ansiosos para saber o sexo do nosso bebê, então fomos no dia 23 de Janeiro de 2015 com 17 semanas de gestação realizar o ultra som. Bem no início do exame o médico nos disse que seria uma menina, nossa Bianca! Fiquei apaixonada!! Embora muitos dissessem que eu tinha mais jeito de mamãe de menino, mesmo assim meus olhos brilharam e em meio minuto já comecei a fazer diversos planos para minha pequena, mas algo me incomodou, o médico não terminava o exame e pressionava muito a minha barriga de um lado, naquele momento percebi que havia algo errado, apertei com força a mão do meu marido e ansiosa como sou não esperei o médico falar nada já fui perguntando o que estava acontecendo, ele com muita calma nos disse que ela parecia ter uma fendinha nos lábios, e eu mais que depressa perguntei se era um lábio leporino, e ele disse que sim! Eu já tinha lido sobre o assunto e visto algumas matérias, mas nunca tinha conhecido ninguém pessoalmente… Fiz o que a nossa geração faz! Pesquisei na internet sobre o assunto, e ali, diante daquelas imagens perdi meu chão, uma pontada de desespero me invadiu quando vi as fotos, quanto mais eu lia sobre o assunto, mais meu coração apertava e o medo me abraçava com toda a sua força. Sofri, chorei, chorei muito! Mas logo eu lembrei que havia alguém que era muito maior que qualquer problema. Meu marido e eu oramos juntos e colocamos a gestação e a vida da Bianca aos pés de Jesus, dissemos a Ele que o que Ele tivesse pra nós iriamos viver de cabeça erguida e ofertaríamos muito amor pra nossa pequena Bianca.

No exame morfológico foi confirmada a fenda labial unilateral com provável comprometimento de palato. Nessa altura eu já sabia onde o tratamento era realizado em Belo Horizonte, Jhonathan e eu fomos até lá para o acolhimento a gestante, fomos muito bem recepcionados e atendidos. A equipe do Centrare é formidável! Com as informações em mãos, vivemos o restante da nossa gestação curtindo cada movimento da nossa princesa, embora a preocupação fosse constante nossa alegria de saber que nossa filha estava chegando era muito maior.

No dia 14 de Junho de 2015 minha bolsa rompeu e nossa menina apressada chegou a esse mundo duas semanas antes do previsto, muito saudável e rosada!! Mas trazendo consigo mais uma surpresa, a fenda que esperávamos unilateral, veio bilateral e o palato comprometido com uma fissura a esquerda.

Bianca para nós é um milagre! A primeira fonoaudióloga que a examinou disse ao meu marido que seria difícil dela mamar na chuquinha, e que talvez tivesse que ficar na sonda por um tempo, mas mesmo assim o teste seria realizado, na primeira tentativa ela mamou perfeitamente! Nunca perdeu peso, sempre se alimentou muito bem! Graças a Deus!

Confesso que esse inicio não foi fácil, ter que dar muitas explicações as pessoas e relevar olhares de compaixão, me doeu muito, minha filhinha tão pequena e indefesa não merecia determinadas atitudes de preconceito que viveu, uma criança com uma má formação não é digna de compaixão, mas sim de amor e orgulho . Mas mais uma vez me apeguei em Deus, e pedi a Ele que não deixasse brotar em meu coração nenhuma raiz de amargura, e que Ele fizesse a Bianca e a mim fortes, pois seríamos provas de um grande milagre! Tentei entender que tanto pra mim quanto para os que me rodeavam era tudo muito novo. Então, cheio de novidades, vestimos o nosso momento e fomos enfrentá-lo!

Bianca ganhou o peso necessário e com a saúde dentro do esperado fomos para a cirurgia do lábio no dia 18 de Novembro de 2015. A cirurgia foi um sucesso! A expectativa era que se fechasse somente o lado esquerdo, mas foi possível fechar os dois! O pós-cirúrgico foi tranquilo e nossa Bianca nos surpreendendo mais uma vez com sua força e alegria, passando por tudo como uma grande guerreira.

O caminho que temos ainda é longo, mas sei que já somos mais do que vencedores em Cristo Jesus! Eu acredito que tudo nessa vida tem um propósito! E que a história de Bianca consolará e encorajará várias famílias a prosseguirem!

Aos papais que estão chegando agora no mundo dos fissurados eu só tenho uma palavra: Fé!!! Seu bebê irá te surpreender em tudo, e assim como Jhonathan e eu, vocês se encherão de orgulho e alegria em cada pequena e grande conquista!

Bianca está com oito meses com desenvolvimento dentro do esperado! Somos fissurados nela!! E eu tenho certeza que só vai melhorar!

Deixo aqui meu agradecimento ao blog Fissurada na Maternidade, pois me ajudou demais com suas informações e preciosas publicações. Todo o meu carinho a pessoa da Ana Maria, nos conhecemos através em um grupo no facebook e ela cuidou de mim durante a gestação me acalmando e me ensinando a ser uma mamãe fissurada pelo filhote! Obrigada Ana!

“Bora” vencer!!!

Abraços!

Especial de Fissura

Olá gente!

A descoberta dos pais que o filho irá nascer com algum tipo de má formação é desesperadora. E com a fissura não é diferente… Mesmo sabendo que tudo é resolvido, é como se jogassem um balde de água fria em nossa cabeça quando falam que seu filho tão esperado e idealizado logo precisará de cirurgias para corrigir algo que não esperávamos ou nem se quer imaginávamos que poderia acontecer… A calmaria vem após o nascimento do bebê e a medida que vamos vivenciando as etapas de correções cirúrgicas, só assim percebemos que a fissura é somente uma fase e que logo logo respiramos aliviados.

Convido vocês papais e mamães para contarem aqui no blog como foi quando descobriram que seus pequenos iriam nascer com fissura e como lidaram com essa descoberta.  Espero com esses relatos, ajudar as mamães e papais que estão na fase da descoberta e tranquilizá-los. Além disso, espero convencê-los de que nossos pequenos guerreiros só nos mostram uma coisa, que são tão fortes quanto qualquer outra criança e nos enchem de orgulho cada dia mais!

Se alguma mamãe ou papai aqui do blog quiser participar basta enviar um e-mail contando como foi a sua história no endereço fissuradanamaternidade@gmail.com. Pode enviar fotos de antes e depois também, será de muita valia. Isso tranquilizará muito outros pais. No final do e-mail peço gentileza de colocar uma observação autorizando a postagem do relato aqui no blog. Vou postando a medida que forem me enviando, ok?! Aguardo ansiosamente por novos relatos. Já tivemos um lindo que foi o da Mayara, a mamãe do Enzo. De quem será o próximo?! =D

Muita gratidão para quem animar participar! Que Deus retribua com muito mais amor pra vocês!

Com amor,

Ana Maria.

Relato da mamãe do Enzo

Relato do meu pequeno grande guerreiro Enzo

Mayara Cristina Felipe Cruz

João Monlevade – Mg

10/12/2015

Bom dia Ana Maria!

Bom dia Leitores…

Fui convidada e aceitei com muito prazer compartilhar com vocês a minha história e apresentar o meu amado filho.

Ser mãe sempre foi um sonho que falava mais alto, me preparei, me programei, tomei todas as vitaminas recomendadas, mudei a alimentação, segui tudo à risca para que tudo desse certo.

Com o positivo em mãos comecei o pré natal, fiz duas ultrassons e tudo normal.

Foi marcada a morfológica, confesso tive receio, medo, uma ansiedade que não tinha como explicar, antes de sair de casa eu disse que queria ver o rosto do meu Enzo e o que Deus tinha preparado pra nós. Super ansiosa cheguei para fazer o exame no dia 04/02/2015, vi meu Enzo que estava com 24 semanas e muito esperto com 730 gramas, só crescendo e desenvolvendo na graça de Deus, no meio o exame foi interrompido e o médico que o tempo todo me passou tranquilidade e esperança me disse que torce pra tudo dá certo mas que infelizmente não poderia me esconder e que graças a Deus já tem recurso pela medicina.

Meu pequeno forte valente tentou esconder colocou a mão no seu rosto e não queria tirar, com esforço mexendo nele tirava e novamente voltava com a mão pro rosto.

Diagnóstico FENDA LABIAL!

Um susto, não teve como conter a emoção que falo mais alto, um silêncio, o medo tomou conta de mim, naquele momento tive medo de perder ele, passar pela mesma dor novamente seria difícil, só consegui chorar.

O médico com toda paciência me explicou tudo possível.

Nesse dia não voltei para o trabalho, não foi possível!

Pensava nele o tempo inteiro, não sabia o que era, não conhecia ninguém, nunca tinha visto.

O papai e a mamãe se permitiu sofrer, chorar por medo, receio dele sofrer, tão pequeno passar por uma cirurgia, mas o Enzo se comunicou comigo o dia inteiro coisa que nunca tinha feito.

Minha mãe falava pra mim que ele estava falando que ele estava bem e que eu não precisava fica triste.

Depois da notícia fui atrás de informação, sofremos mais não paramos!

Na minha cidade eles não sabiam me explicar nada direito, os médico nunca tiveram pacientes nessa situação me sentia perdida no tempo, pensava que caminho seguir e o tempo inteiro pedi a Deus direcionamento que colocasse pessoas certas no meu caminho, o telefone toca minha tia um dia depois me falando que estava passando uma propaganda na globo do Hospital da Baleia sobre a fissura labial que era pra eu ver, foi tudo se direcionando depois que vi a propaganda, com uma semana já estava dentro do hospital pro acolhimento a gestante e foi tudo perfeito, me senti protegida e confiante, recebi toda informação necessária pro primeiro momento, levei para casa uma segurança, uma força que não tinha como explicar.

Os dias foram passando me sentia cada vez mais preparada pra tudo, nada que viesse acontecer ia me abalar.

Tivemos outro diagnóstico mas não me permiti mais sofrer e somente confiar em Deus, ele foi o meu escudo e a minha fortaleza, não me desamparou e sim me preparou.

Entre todos os momentos em que eu e o papai Jeferson vivemos sobre a fissura o mais importante foi o contato com outra família. A Nazaré e o Breno abriram as portas da sua casa para conhecermos a Clarinha. O papai do Enzo não tinha tido o primeiro contado como eu, ela foi a primeira e isso foi muito fortificante ver o desenvolvimento dela e a postura dos pais.

Foi se aproximando a data do parto, uma cesárea programada, todos se encontravam apreensivos, medo da minha reação, medo de como tudo seria, mas eu me encontrava completamente segura, pronta pra tê-lo em meus braços…”

Chegado o momento, ele nasceu no dia 13/05/2015. Lindo, forte e saudável. Meu príncipe com um olhar encantador e somente com a fissura labial, palato completamente fechado e para a surpresa conseguiu se alimentar direitinho, mamou sem nenhuma dificuldade.

Uma dica pra quem vai passar por isto, é ter ao seu lado médicos de sua total confiança, médico que antes do nascimento já conheça nossa história, pra mim isso foi fundamental na amamentação do Enzo.

Infelizmente encontramos muitos profissionais despreparados, sem orientação, eu me informei de tudo e levei tudo para a pediatra.

A fissura é um charme à parte, não tive dificuldades em lidar com os olhares, não nego que teve momentos em que não me senti confortável e não contive a emoção, chorei muitas vezes no meu silêncio. Vivemos em uma sociedade de preconceitos, eu escolhi viver nossa história de cabeça erguida e não me importa para as palavras mal faladas, os olhares atravessados, nada tiraria a felicidade de estar ao lado dele, ao lado do meu filho.

A maior ansiedade foi esperar pela primeira consulta, pensávamos tantas coisas mas tudo foi se encaminhando e dando certo, o ganho de peso, os exames com resultados positivos.

Graças a Deus chegado o dia de marcar uma data, que alegria! Essa data foi marcada pra longe, fiquei triste, preocupada, já teria voltado a trabalhar, como tudo seria diferente do que tinha imaginado, Deus estava no controle de nossas vidas, o médico voltou a agenda mas não tinha como ser antecipada, voltei para casa um pouco triste mais como sempre não me permitia ficar por muito tempo no outro dia já estava conformada.

No dia 18/09/2015 recebemos uma ligação, exatas duas semanas após marcar a data para a cirurgia queriam saber da saúde do Enzo e se estávamos com todos os exames em mãos e disseram traga ele amanhã para realizarmos a cirurgia. O coração disparou, pulamos de alegria, não tivemos tempo nem de ficarmos ansiosos acreditamos que foi melhor assim.

19/09/2015 pegamos viajem de madrugada, pra falar a verdade não consegui dormir nada, foi uma adrenalina emocionante, o jejum foi difícil, ele chorou demais já chegou no hospital chorando o médico até chamou ele de malinha porque não parava de chorar por nada, entrou pro bloco cirúrgico chorando e eu fiquei apreensiva esperando por ele, foram minutos longos conversei com outras mães mais o tempo parecia eterno, e na verdade nem demorou tanto. Foram mais ou menos 1:40h para chamarem a mãe do Enzo, aí sim começou a cair a ficha, entrei no bloco ao seu encontro, escutei seu choro de longe, choro rouco.

O reencontro foi lindo, conheci meu filho pela segunda vez, não contive a emoção, as lágrimas escorreram pelo meu rosto, foi perfeito aos olhos do Pai, a cirurgia foi um sucesso.

O Enzo pra mim ficou muito diferente, mudou muito porque não criei expectativa alguma de como ele ficaria, pra mim foi melhor assim, o seu rostinho ficou mais gordinho.

A recuperação não foi nada do que cheguei a imaginar, tudo muito tranquilo, sem febre, sem choro, apenas dengo, Ah e os pontos demoraram 30 dias para caírem por completo.

O trabalho dos profissionais foi demais, só tenho a agradecer por ter proporcionado ao meu Enzo uma qualidade de vida melhor, temos muitas vitórias a ser conquistadas, temos uma luta contra ao preconceito a ser vencida!

Mamães e Papais aceitam nossas condições, nos traz firmeza para cuidarmos dos nossos filhos, com calma e paciência conseguimos tudo e no tempo certo.

Comentários e perguntas terão sempre, mas o que importa é o AMOR que existe e que faz superar tudo, neste momento a família deve se unir, não se cale divida com quem tiver ao seu redor, pessoas de sua confiança que não te abandonarão, eu prefiro conversar ao invés de ficar calada e me fez um bem enorme.

Graças a Deus o Enzo está bem e crescendo cada dia mais, surpreendendo a muitos!

Amo Meu filho incondicionalmente!!

Amo o meu fissurado e sinto saudades daquele sorriso que estará para sempre na minha memória.

Cuidados com a cicatriz após a labioplastia

Bom dia!

Hoje vou esclarecer algumas dúvidas em relação aos cuidados necessários com a cicatriz após a labioplastia ou queiloplastia.

Após a cirurgia o que devemos fazer é limpar sempre os pontos com água e sabão na hora do banho, tomando cuidado para não apertar demais os pontos. Lavar bem de leve! Não é necessário passar nada para limpar, nenhum produto, como por exemplo soro fisiológico com algodão. Algumas mamães passam algodão ou limpam com gaze, mas isso pode causar atrito nos pontos e muitas das vezes quando se passa algodão gruda pedacinhos nos pontos, o que não é legal e pode causar até mesmo infecções, então o ideal é somente lavar com água e sabão, secar com bastante cuidado com uma toalha macia e fazer o uso da pomada cicatrizante que o médico solicitar.

É importantíssimo não tomar sol por no mínimo três meses para que a recuperação da cirurgia tenha um bom resultado com uma melhor cicatrização. Após os pontos caírem e passados esses três meses iniciais, se for tomar sol, mesmo que seja indiretamente, deve-se usar bloqueador solar. Nós ficamos um ano sem expor o Raul ao sol, e até hoje uso bloqueador e um boné quando vamos passear no sol. A pediatra do Raul recomendou o uso de uma pomada para diminuir a cicatriz, e desde a caída dos pontos começamos a usá-la.

Passados trinta dias após a cirurgia e a queda completa dos pontos dos lábios, provavelmente o fonoaudiólogo que atende seu baby deverá passar uma sequência de massagens para melhorar a mobilidade e o alongamento da área operada, a fim de evitar o enrijecimento da cicatriz. A massagem será compreendida por movimentos circulares, para cima e para baixo, e de dentro para fora da musculatura envolvida. Esses exercícios deverão ser feitos diariamente, no mínimo três vezes ao dia,  o máximo de tempo que conseguir. Eu fazia durante o banho do Raul e quando ele estava dormindo, que eram os momentos que ele me deixava colocar os dedos dentro da boquinha dele. Abaixo estão figuras demonstrando algumas massagens que passamos, mas a importância de se ter um fonoaudiólogo acompanhando e ensinando a fazê-las corretamente não é diminuída, ok?! Seja sempre acompanhado por algum profissional que o ensine a realizar corretamente.

73797379a7379d

A importância dessa massagem é justamente para a cicatriz ficar mais maleável e não prejudicar na articulação da fala, na movimentação dos lábios e para dar um resultado estético melhor na posição dos lábios.

O resultado da cicatriz vai depender muito da tonalidade da pele da criança e da genética em relação à cicatrização, mas seguindo essas dicas e cuidados no pós operatório o resultado já é muito satisfatório.

IMG_20150811_102654
Foto do meu príncipe Raul com o resultado da cicatriz dele. 😍

Com amor,

Ana Maria Poças

CRFa 6-7185

 Ps.: As figuras demonstrando as massagem são do link http://www.amigonerd.net.

Afinal, o que é a fissura labiopalatina?!

A fissura labiopalatina é uma má formação congênita, ou seja, causada antes mesmo do nascimento. As estruturas faciais de um fissurado têm crescimento normal, porém entre a 4ª e a 12ª semana da gestação ocorre um erro na junção dos processos faciais embrionários, causando a falta de continuidade das estruturas da maxila. As fissuras são as deformidades faciais mais comuns em todas as raças e grupos étnicos, tendo maior incidência na raça amarela (asiáticos). A cada 650 nascimentos no Brasil, 1 criança nasce com fissura. A causa desse erro no processo de formação embrionária é muito vaga, mas dentre as possíveis, podemos citar:

  • hereditariedade
  • alterações morfológicas maternas
  • diabetes materna
  • hipotireoidismo
  • stress
  • infecções maternas
  • desnutrição materna
  • uso de determinados medicamentos
  • radiação
  • uso de drogas e álcool durante a gestação

Existem quatro tipos de fissuras:

  1. Pré forame (fissura labial –  vulgo lábio leporino), pode ser unilateral ou bilateral
  2. Transforame (fissura labiopalatina), pode ser unilateral ou bilateral
  3. Pós forame (fissura palatina), pode ser completa (palato mole e duro) ou incompleta (palato mole)
  4. Submucosa (fissura palatina – de difícil diagnóstico)

O tratamento para a correção baseia-se em duas cirurgias básicas que ocorrem entre os três meses até os dezoito meses de vida. A primeira cirurgia, a labioplastia ou queiloplastia ocorre entre os terceiro e o sexto mês de vida, e a segunda, a palatoplastia ocorre após o primeiro ano de vida, podendo acontecer até os dezoito meses. Estas cirurgias têm como objetivo a reconstituição estética e funcional do lábio e do palato. Outras cirurgias podem ser necessárias no decorrer da infância e na adolescência, como enxerto ósseo e plástica reparadora para melhorar a aba do nariz.

A equipe multidisciplinar que acompanha o tratamento de crianças com fissuras é composta por: cirurgião plástico, otorrinolaringologista, psicólogo, fonoaudiólogo, dentista, ortodontista, enfermeiros e geneticistas  (em alguns casos).

Ana Maria Poças.

CRFa 6-7185

Fontes:

http://www.cefac.br/library/teses/5140194d8fd62046ca733a98281d160b.pdf

Spina VA. Proposed modification for the classification os cleft lip and cleft palate. Cleft palate J. 1979; 10:251.

Cardim VLN, Crescimento craniofacial. In: Altmann EBC. Fissura labiopalatina. Carapicuiba: Pró Fono: 1997.

Livro: Fissura Labiopalatina – Fundamentos para a prática Fonoaudiógica/Oragizadoras marisa de Sousa Viana Jesus, Camila Queiroz de Moraes Silveira Di Ninno. – São Paulo: Rocca, 2009.